Nutricionista fala dos sintomas e riscos da desidratação

Redação, 22 de Novembro , 2023

Ainda não chegamos no verão, mas os dias estão cada vez mais quentes. Para encarar esse calor intenso, o Ministério da Saúde reforça medidas importantes, principalmente quanto à hidratação. A ingestão de água é fundamental porque o nosso corpo precisa de líquido para manter a temperatura ideal de funcionamento.

Para falar sobre a importância de se manter hidratado e os perigos da baixa ingestão de líquido nesse período, conversamos com a nutricionista e professora do curso de Nutrição na modalidade de ensino a distância (EAD) da Universidade Tiradentes (Unit), Kathlleen Alves da Silva, que começou falando sobre os sintomas da desidratação, que pode ser classificada, segundo o grau de gravidade, em leve, moderada e grave. “Na desidratação leve e moderada ocorre estímulo do centro de sede do cérebro, provocando sede para que o indivíduo beba mais líquidos. A sudorese diminui, menos urina é excretada, ocorre diminuição da elasticidade da pele, a boca fica seca, dor de cabeça, sonolência, tonturas, fraqueza, cansaço e aumento da frequência cardíaca. Quando há uma desidratação grave, a pressão arterial pode cair provocando sensação de desmaio iminente ou desmaio, especialmente ao levantar-se. Além disso, pode ocorrer perda de consciência, convulsões, coma, falência de órgãos e até mesmo a morte”, ressaltou.

A nutricionista também explica que a água se desloca do interior das células para a corrente sanguínea para manter o volume necessário de sangue e a pressão arterial. Se a desidratação continuar, os tecidos do corpo começam a secar e as células começam a encolher e a funcionar inadequadamente. “Se a desidratação não for tratada, ocorrem choques e graves danos aos órgãos internos, tais como rins, fígado e cérebro. As células cerebrais são suscetíveis a níveis mais graves de desidratação, assim pode haver confusão mental”, afirmou. 

Para reverter o quadro de desidratação leve, beber bastante água talvez seja suficiente. Na desidratação moderada e grave, os eletrólitos perdidos (principalmente sódio e potássio) devem ser repostos. É importante se manter hidratado com água, outros líquidos e alimentos que possuem uma alta concentração de água, assim é possível evitar que ocorra uma perda de água excessiva e perda de eletrólitos do corpo. A água de coco é eficaz na hidratação do corpo, mas não deve substituir a água pois os sais da água de coco como sódio e potássio, em excesso, podem comprometer o funcionamento de algumas células.

A desidratação é mais perigosa nas crianças mais novas e também para os idosos. Os recém-nascidos e lactentes o leite materno é o recurso ideal para o tratamento da desidratação nos primeiros seis meses de vida da criança. Depois, independentemente da idade, nos casos de desidratação leve e moderada, beber muita água filtrada ou fervida em goles pequenos e intervalos curtos pode ser o suficiente para reidratar o organismo. “É importante também manter a pessoa em ambiente com temperatura amena para evitar a perda de água pelo suor. Os idosos também são mais sensíveis à desidratação pois demoram mais para sentir sede e a sentem com menos intensidade, é possível que mesmo os idosos que se encontram bem de saúde não bebam uma quantidade suficiente de líquido por vários motivos, incluindo incontinência urinári


Siga os canais do Portal 93 Notícias: YouTube, Instagram, Facebook, Threads e TikTok

Participe da comunidade da 93 Notícias no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

O que você está buscando?

google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc