Márcio Macedo: “a cidade inteligente, humana e criativa não passa de peça de marketing de Edvaldo Nogueira”

Redação, 02 de Fevereiro, 2020 - Atualizado em 02 de Fevereiro, 2020


Ao explicar, neste domingo, 02, a sua pré-candidatura à Prefeitura da capital sergipana, o petista Márcio Macedo disse que “a nossa pré-candidatura surge da necessidade de Aracaju ter uma gestão com foco nas pessoas, com canais de interlocução cidadã, participação popular e políticas públicas que implementem ações de inclusão social pela renda e pelo direito”.

 Macedo está disposto a realizar um governo municipal com visão progressista e que encare temas cruciais para a cidade: o planejamento urbano, um efetivo plano diretor, as licitações do transporte público e da limpeza urbana, sintonizadas com ideias de mobilidade urbana, respeito ao meio ambiente, à sustentabilidade e ao direito à cidade.

 “Nosso plano de governo será pautado em estudos de experiências e visões modernas de gestão pública. Temos o desafio de implementar ações que materializem essas visões em Aracaju, mas é preciso registrar que muitas estiveram na pauta do programa de governo que ajudamos a elaborar, e que infelizmente não foram efetivadas, aqui nós temos uma grande diferença”, comentou.

 

Autoria do programa

 Ao ser indagado sobre o que o prefeito atual Edvaldo Nogueira fez e ele não faria, o ex-vice-presidente nacional do PT e ex-deputado federal disse que “primeiramente, eu jamais deixaria de lado o plano de governo que apresentamos à sociedade. É bom registrar, inclusive, que o programa “Cidade Inteligente, Humana e Criativa” foi elaborado por petistas e simpatizantes, em sua maioria. Um material consistente e atual. E o que foi feito? O prefeito se afastou do programa, do campo progressista e da cidade desenhada e debatida com a população em 2016 e se agarrou aos métodos superados do passado”.

 Ele destaca ainda a  terceirização na saúde, medida adotada pelo prefeito Nogueira, que não melhorou em nada os serviços prestados à sociedade; prometeu e não revogou o reajuste do IPTU e o slogan “Cidade Inteligente, Humana e Criativa” não passa de peça de marketing.

 

Márcio concluiu sua exposição afirmando que “esse é um debate do qual não poderemos fugir, porque, ao optar por fazer uma gestão convencional, compromete-se o futuro da cidade, deixa-se de potencializar o desenvolvimento econômico, a geração de emprego, de investir em inovação  e de utilizar a tecnologia em prol da melhoria da vida das pessoas, para, aí sim, termos uma Aracaju mais inclusiva, desenvolvida e humana”.

 Informações com Primeiramao.blog

O que você está buscando?