Profissionais de saúde começam a demonstrar transtornos mentais pelo desgaste no enfrentamento da pandemia

Em meio ao caos na saúde mundial, provocado pelo coronavírus, os profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente começam a precisar de ajuda e cuidados para uma dor impossível de enxergar, mas que ataca mente e alma por não terem condições de

Redação, 13 de Maio, 2020 - Atualizado em 13 de Maio, 2020

Foto: Paolo MirandaFoto: Paolo Miranda


Em meio ao caos na saúde mundial, provocado pelo coronavírus, os profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente começam a precisar de ajuda e cuidados para uma dor impossível de enxergar, mas que ataca mente e alma por não terem condições de salvar todas as vidas que chegam diariamente às unidades de saúde.

Por isso, em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria, o Ministério da Saúde está realizando pesquisas para avaliar a “Influência da Covid-19 na Saúde Mental”, desses profissionais. Uma dessas pesquisas está avaliando os 377 profissionais que estão em Manaus, o estado com situação mais crítica do país. Segundo a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, um resultado preliminar demonstra que parte desses profissionais já estão apresentando algum tipo de transtorno mental.

“Nesse grupo de Manaus que inclui médicos, fisioterapeutas, farmacêuticos e biomédicos, nós temos 6% de profissionais com sinais de depressão e ansiedade. Isso mostra que cada vez mais, precisamos ter um cuidado amiúde com os nossos profissionais para que eles estejam aptos a enfrentar a pandemia de forma muito mais importante do que nós, porque eles estão diretamente no enfrentamento da doença e precisam, sim, de suporte emocional para continuar atuando.

” De acordo com a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, é necessário começar a elaborar políticas públicas para cuidar da saúde mental dos profissionais de saúde que estão atuando no combate ao coronavírus.

“Para esse grupo, colocamos à disposição, atendimento psiquiátrico presencial ou em teleatendimento durante todo o período em que eles estão enfrentando a pandemia. Mas a pesquisa tem como objetivo maior, detectar os agravos de saúde mental na nossa população de profissionais de saúde e que possamos ter na agenda de governo, após a pandemia, políticas públicas voltadas ao cuidado específico com a saúde mental desses profissionais

.” No total, mais de 200 mil profissionais de saúde já responderam a uma das três pesquisas que o Ministério da Saúde está promovendo. Além disso, a estratégia do ministério na forma de repassar as informações, são feitas de maneira a apresentar dados sérios mas que não estimulem o medo na sociedade e, assim, evitar pânico e o desenvolvimento de transtornos mentais na população brasileira.

Por: Agência do Rádio 

O que você está buscando?