Japoatã: Escola Família Agrícola de Ladeirinhas implementa sistema agroflorestal

Prática respeita os ciclos naturais, promove a recuperação de lugares degradados e o desenvolvimento sustentável

Redação, 25 de Novembro , 2020

A Escola Família Agrícola de Ladeirinhas (EFAL), localizada na zona rural do município de Japoatã, está implantando o sistema agroflorestal na área da unidade escolar. Trata-se de um processo formativo que articula escola, comunidade, trabalho, educação e outras categorias essenciais para a formação de jovens e adultos, além do plantio e cultivo de diversas espécies de plantas pelos bolsistas da EFAL e outros colaboradores envolvidos.

O Projeto SAF EDU EFA corresponde a um intercâmbio de conhecimento das escolas famílias agrícolas sobre Educação Ambiental, Sistemas Agroflorestais e Produção Agroecológica, coordenado pela Rede das Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semiárido (REFAISA) e financiado pelo Adaptando Conhecimento para a Agricultura Sustentável e o Acesso a Mercados (AKSAAM), investindo nas populações rurais (FIDA), Universidade Federal de Viçosa/MG (UFV), Fundação Arthur Bernardes (FUNARBE) e o Instituto de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (IPPDS).

De acordo com Itamara de Paula Andrade Araújo, professora de Geografia da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas “A” e monitora do Projeto SAF EDU EFA, o sistema agroflorestal (SAF) consiste num modo de fazer agrícola que se plantam alimentos, floresta, pomar, solidariedade, dignidade e respeito ao humano e a todo o meio ambiente. “A ideia que rege a atividade em um SAF é aprender com a natureza, copiar seus modelos e replicá-los, respeitando seus ciclos. É um fazer agrícola regenerativo que promove a recuperação e conservação de áreas degradadas”, ressaltou.

O objetivo é desenvolver um programa técnico e educativo em sistemas agroflorestais (SAF) nas escolas famílias agrícolas e comunidades, de modo a ter experimentos inovadores por meio da Pedagogia da Alternância no tempo-escola e no tempo-comunidade, compreendendo as especificidades de cada região, contribuindo com o desenvolvimento rural sustentável por meio da sistematização e disseminação de conhecimentos, experiências e boas práticas, garantindo a sustentabilidade socioambiental e de inovações tecnológicas que promovam a resiliência do bioma às mudanças climáticas.

“Diretamente temos três alunas e um aluno que são bolsistas do projeto SAF EDU EFA. Porém, como se trata de um projeto educativo a respeito de um sistema de produção de alimentos, todos são beneficiados”, destacou o gestor da EFAL, Carlos Wagner Santos.

Além disso, o projeto compreende o período de 18 meses entre abril de 2020 e setembro de 2021. Serão desenvolvidos nos estados da Bahia e Sergipe, diretamente em cinco escolas famílias agrícolas, sendo quatro núcleos localizados, respectivamente, em Sobradinho/BA (Sertão do São Francisco) e Antônio Gonçalves/BA (Piemontês Norte do Itapicuru); Monte Santo/BA (Sisal); Inhambupe/BA (Litoral Norte e Agreste Baiano); e Ladeirinhas/Japoatã/SE (Bacia do São Francisco Sergipano).

O que você está buscando?