Respeitável Público! Os circos pedem socorro

Lívia Mattos lança o portal circense para apoiar e ajudar os circos do país

Redação, 14 de Maio , 2021 - Atualizado em 14 de Maio, 2021

Respeitável Público! O espetáculo é a mola propulsora desse modo produção de vida e arte, que é a itinerância circense. É a partir dele, da sua relação com o público local, que se parte, que se chega, que se demora numa praça. Há uma diversidade de linguagens e expressões que acompanham as artes do circo. Pensando na contribuição do circo para cultura brasileira, há oito anos a cantora, compositora, sanfoneira, circense e socióloga Lívia Mattos vem registrando entrevistas com diversos personagens que habitam os circos.

A artista lança o primeiro portal com foco nos circos e circenses itinerantes da Bahia, nesse contexto pandêmico que nos assola. O projeto tem uma visão abrangente sobre os circos itinerantes de pequeno porte, analisando os seus aspectos sociais e importância, dando acesso ao público a uma vasta pesquisa.

“O portal é uma forma de aproximar o público do circo itinerante, nesse momento pandêmico, apresentando uma outra abordagem de contato e conteúdo sobre esse modo de produção de vida e de trabalho peculiar. Entendendo as dificuldades de transposição da experiência de ir a um circo itinerante para o formato online, o site propõe uma imersão sobre as histórias e narrativas de quem perpetua e dá continuidade a tudo isso.”, afirma Lívia Mattos

O Respeitável Público está voltado aos circos de pequeno que até hoje, chegam onde outras linguagens artísticas não conseguem acessar, constituindo-se como uma espécie de "centro cultural ambulante", um espaço móvel de apresentações. Mais do que isso, apresenta outra possibilidade de modo de vida. Como se vê nas narrativas dos circenses, muitos fogem com o circo por ele representar um jeito de sair da sua realidade e adotar outro modelo de vida. 

Navegando pelo site, o internauta poderá ter contato com um panorama sobre os circos itinerantes da Bahia, acessar uma espécie de exposição online sobre o Circo Real Xangay, como um estudo de caso que demonstra como se dá o circo itinerante que circula nas cidades e povoados.  E ainda, será possível acompanhar a tentativa de volta desse circo, após 11 meses parado.

Além do Circo Real Xangay, o público confere a a trajetória de alguns mestres e mestras circenses e terá acesso a uma biblioteca virtual, que reúne livros, material audiovisual, trabalhos acadêmicos e institucionais sobre circo, produzidos na Bahia. Além disso, o publico poderá conhecer a campanha "Viva o Circo Brasileiro", que possibilita a colaboração financeira direta a diversos circos itinerantes do Brasil.

“Os circos itinerantes fazem parte da história cultural do nosso país, contribuindo para diversas linguagens artísticas e funcionando como uma espécie de centro cultural ambulante temporário. Até hoje, continuam chegando onde outros gêneros de apresentação não chegam, acessando povoados, comunidades e cidades. Este projeto propõe aproximar o "respeitável público" do circo itinerante, nesse momento em que a pandemia impede esse contato genuíno e histórico entre ambas partes. Nessa proximidade, a ideia é trazer à tona conteúdos que não costumam ser acessados, sobre esses circos e circenses, mesmo quando estavam em funcionamento. Sejam bem-vindos! Viva o circo brasileiro!”, afirma Lívia Mattos

A idéia é que seja um portal dinâmico, que possa agregar novos conteúdos e colaborações, sobre circos, circenses e pesquisas produzidas na Bahia sobre o tema. O público é convidado a colaborar, bem como outros circenses que tiverem contato com o site. 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Lívia Mattos

Lívia Mattos é acordeonista, circense, cantautora e socióloga. Artista da cena,  começou a sua história no picadeiro e  também seguiu pelos palcos como instrumentista, performer e frontwoman. Com o seu trabalho, apresentou-se em festivais pelo mundo como “Accordions Around the World”, "International Macau Parede", em Macau; “Akkorden Festival Wien”, em Viena; "Sommerwerft Festival", em Frankfurt; dentro outros festivais Brasil afora. Integrou a Companhia Picolino (BA), fundou a "Fulanas Cia de Circo"(BA), bem como a Cooperativa de Circo da Bahia; integrou o grupo Acrobático Fratelli (SP) e seguiu seu caminho autoral no circo e na música. Pesquisadora sobre a música no circo no país, a socióloga  prepara documentário longa metragem sobre a temática, através do Rumos Itaú Cultural, advindo de 9 anos de registros e pesquisa  A partir dessa interface música/circo, vem desenvolvendo trabalhos como “A Sanfonástica Mulher-lona”, "As Trigêmeas",  “Mono Amour”,  “Sanfona Aérea” e  “A Lira da Lona”. Atualmente, é mestranda em Artes, pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), dando seguimento à pesquisa.

Assessoria de imprensa

O que você está buscando?