Vereadora relata fila para realizar braquiterapia no Hospital João Alves e defende retomada de eventos

Apesar das denúncias de pacientes, a direção do Huse nega que haja fila de espera para este procedimento

Redação, 14 de Setembro , 2021

Em discurso na Câmara de Aracaju, na Sessão desta terça-feira, 14, a vereadora Sheyla Galba (Cidadania) voltou a destacar problemas na oncologia do Hospital João Alves Filho. Desta vez, a parlamentar relatou que há pacientes com câncer em fila de espera para realizar braquiterapia, um tipo de radioterapia voltada para pacientes com câncer de colo de útero ou no útero. 

“Segundo a direção do Hospital João Alves Filho, não existe fila de espera para este procedimento. Porém, eu fui procurada, nesta segunda-feira (13), pela sexta pessoa que está na fila. A braquiterapia, que é muito importante para quem tem câncer de colo de útero ou no útero, está atrasada. São seis pessoas, que estou sabendo, na fila precisando fazer este tratamento que é imprescindível”, salientou.

Sheyla Galba ressaltou que o câncer de colo de útero é tão agressivo e mata tanto quanto o câncer de mama. “Precisamos de transparência para entender por que essas pessoas estão com a braquiterapia atrasada. Inclusive, há mulheres que precisam fazer um tratamento conjugado, braquiterapia e quimioterapia. Ou seja, precisa para dar continuidade ao tratamento”, frisou.

“Mais uma vez faço um apelo para que a secretaria de Estado da Saúde tenha um olhar diferenciado aos pacientes oncológicos no Hospital João Alves Filho. Além da radioterapia agora também a braquiterapia com seis pessoas na fila aguardando pelo tratamento. Isso é inadmissível”, complementou.

Retomada dos Eventos

Ainda no discurso, a vereadora também falou sobre a participação, enquanto membro da Frente Parlamentar de Turismo da Câmara, no almoço que contou com a presença do presidente nacional da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), Doreni Caramori Jr.

“Quero aqui também parabenizar o presidente da Frente Parlamentar, o vereador Fabiano Oliveira, pelo grande evento. Foram apresentadas diversas questões, a exemplo da situação dos profissionais do setor que estão há 17 meses enfrentando dificuldades”, pontuou Sheyla.

A vereadora chamou atenção para os mais de seis milhões de trabalhadores no Brasil que dependem dos eventos para levar renda para suas famílias. “Pedimos ao Governo de Sergipe e a Prefeitura de Aracaju que olhem por estes profissionais, começando a se organizar e a tomar decisões a longo prazo para que quem trabalha com eventos possa se programar, seguindo sempre os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19”, concluiu.

O que você está buscando?