A temporada de Itabaiana e Freipaulistano, os dois representantes de Sergipe na próxima Série D

Redação, 07 de Maio , 2020 - Atualizado em 07 de Maio, 2020

De 2016 a 2019, a primeira fase da Série D foi disputada por 68 clubes, divididos em 17 grupos de quatro. Destes, o campeão e os 15 melhores segundos colocados de cada grupo avançavam à fase seguinte, disputada no esquema de mata-mata. Em outubro do ano passado, entretanto, como noticiado pelo GloboEsporte.com, foi divulgado um novo regulamento, com uma fase de grupos composta por 64 equipes divididas em oito grupos com oito times cada. A partir daí, os quatro primeiros se classificariam para o mata-mata da fase seguinte.

As datas de realização da Série D deste ano ainda estão em aberto. O Campeonato Sergipano não foi finalizado, mas o presidente da federação de futebol do estado, Milton Dantas, disse que isso aconteceria “nem que seja em agosto, setembro ou dezembro”. Por outro lado, a própria CBF deu uma grande mostra de confiança na realização da quarta divisão nacional deste ano ao conferir um auxílio de R$ 120 mil para cada um dos 64 clubes da Série D, dos quais dois são de Sergipe: Freipaulistano e Itabaiana.

Os primeiros adversários dos sergipanos na Série D

Assim, a essa altura não é possível determinar o quanto da nova fórmula da Série D se manterá de fato, afinal, o novo regulamento levava em conta que a competição contaria com mais datas e seria realizada de 3 de maio a 22 de novembro. No entanto, os adversários de Freipaulistano e Itabaiana na fase de grupos devem ser os mesmos que haviam sido definidos de acordo com a tabela que foi divulgada no início de março.

Isso porque, assim como na Série C, a divisão das equipes em grupos na quarta divisão nacional obedece a critérios geográficos, de forma a reduzir os custos relativos a transporte. Consequentemente, além dos dois representantes de Sergipe, o grupo A4 contaria com mais seis equipes da região Nordeste: ABC e Potiguar, do Rio Grande do Norte; Central, de Pernambuco; Coruripe e Jacyobá, de Alagoas; e Vitória da Conquista, da Bahia.

A mudança de regulamento leva a crer que existem bons motivos para acreditar nas chances de pelo menos uma das equipes de Sergipe avançar à fase seguinte da Série D. No entanto, é igualmente razoável supor que dificilmente uma das quatro vagas do grupo não ficará com o ABC. Após o rebaixamento na Série C do ano passado, o alvinegro de Natal fará sua estreia na quarta divisão nacional, onde tem tudo para vencer a maior parte dos jogos que vier a disputar na Arena das Dunas.

O desempenho recente de Itabaiana e Freipaulistano

Outro motivo para se ter cautela em relação a quaisquer prognósticos relativos a Freipaulistano e Itabaiana são as próprias limitações das equipes. Mesmo que os dois clubes se reforcem para a disputa do Brasileirão, é pouco provável que isso venha a fazer grande diferença em termos de prognósticos. Evidência disso é que mesmo antes do recente jogo em casa contra o América-RN pela Copa do Nordeste, a vitória do Freipaulistano dava um retorno de 2,88 no site de aposta online Betway Esporte; já a vitória dos visitantes dava um retorno de 2,25.

É verdade que tanto Itabaiana quanto Freipaulistano se classificaram para o quadrangular final do estadual, mas nenhuma deles fez isso de forma convincente. O Itabaiana, por exemplo, conquistou a classificação apenas na última rodada, quando derrotou o Lagarto por 1 x 0 no clássico realizado no estádio Etelvino Mendonça. Mais do que isso: se tivesse perdido esse jogo, a equipe teria sido rebaixada para a Série A2 de 2021.

Já o Freipaulistano, atual campeão estadual, terminou em 3º na fase de grupos depois de ter feito uma campanha bastante irregular – perdeu dois dos três jogos que fez em casa. Além disso, a equipe foi eliminada ainda na primeira fase tanto na Copa do Brasil quanto na Copa do Nordeste.

Por outro lado, a mera participação do clube de Frei Paulo nessas outras duas competições já foi de grande ajuda no seu fluxo de caixa para o resto do ano. Pela Copa do Nordeste, por exemplo, que contou com a transmissão do SBT, o clube recebeu da Liga do Nordeste R$ 775 mil de participação, como apontado pela Tribuna do Norte em seu site, de Natal (e teria recebido outros R$ 300 mil caso avançasse à fase seguinte da competição).

Considerações para o restante da temporada

Por tudo o que foi visto, o que se pode dizer com segurança é que tanto para Freipaulistano quanto para Itabaiana o momento é de reflexão. Do lado do Freipaulistano, o que se vê é um clube jovem que apenas começa a medir forças com as principais equipes da região. Do lado do Itabaiana, começa-se a ter a percepção de que toda a regularidade da equipe nos últimos anos (foram quatro vice-campeonatos estaduais seguidos) precisa o quanto antes se traduzir em títulos também.

Foto: Vigil Cayasa

O que você está buscando?