Equipe UFS-Warriors estre as melhores do país

Redação, 16 de Outubro , 2021

Galante, Treta, Hk, Tocka e Pepêw se você não conhece esses nomes é porque não sabe quem são os melhores jogadores de LoL do Brasil. Eles são respectivamente Lúcio Vinícius, Victor Matheus, Marcos Vinicius, Vitor Araújo e Pedro Menezes e formam a equipe UFS/Warriors, quarta colocada nos Jogos Universitários Brasileiros 2021 no e-game Lol ou League of Legends, jogo eletrônico em os jogadores assumem o papel de “invocadores” e controlam campeões com habilidades únicas e tentam destruir o Nexus do time adversário, uma construção localizada na base e protegida por outras estruturas.

Com muita paciência e sempre com um sorriso no rosto, Pedro Menezes ‘Pepêw’, estudante do curso de farmácia da Universidade Federal de Sergipe faz parte da equipe e tentou resumir em poucas palavras o que é o jogo: “o LoL é um jogo em equipe, são cinco jogadores contra cinco jogadores, com objetivo de destruir a base do inimigo e dentre esse objetivo existem outros menores que fazem o jogo ser bastante estratégico e muito pensado” e mesmo parecendo ser simples o LoL não é o que parece, completou Pepêw, como Pedro é conhecido no universo dos e-sports. 

Gostinho de quero mais 

O resultado da Warriors não foi um resultado ruim não, afinal a equipe da UFS é a quarta melhor equipe do Brasil, mas por ter chegado muito próximo de estar na final, Pepêw e seus companheiros celebraram a colocação mas ficaram com um sabor amargo na boca: “é um bom resultado, mas eu sinto que a gente conseguiria ir mais longe, por uns erros nossos acabamos não indo para a final”, comparando com o futebol Pedro afirmou que seria o caso de estar ganhando de 5x0 e tomar a virada no segundo tempo, coisas que acontecem no esporte e que os tornam tão apaixonantes. 

Basquete Feminino

Outro bom resultado do dia veio no basquete feminino e também de forma emocionante. Em jogo quente do começo ao fim a equipe da UNIT venceu a UNOPAR de Roraima por 32x31 com direito à três lances livres para as adversárias no último segundo da partida e um rio de lágrimas no ginásio da AABB-Brasília, choro de tristeza no lado roraimense e do lado sergipano, lágrimas de felicidade. 

Fonte: ASCOM/FAES

O que você está buscando?