Dia internacional da Mulher: A saúde mental feminina

Jose Costa, 07 de Março, 2023

O dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é uma data que foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU) na década de 70 com o objetivo de lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas do sexo feminino ao longo da história. Mas vale a pena ainda lembrar da importância da saúde mental das mulheres, que, não raramente, veem-se sobrecarregadas pelos seus inúmeros papéis sociais.

 

1) Saúde mental da mulher: por quê devemos falar mais sobre isso? É fato que as mulheres estão mais propensas à jornada de trabalho dupla (no ambiente profissional e doméstico) e também são mais suscetíveis a experiências de violência física e psicológica ao longo da vida. Mas não só: as oscilações hormonais femininas também podem ter impacto sobre a saúde mental. Por tudo isso, as mulheres têm maior propensão à depressão. Saiba mais sobre o assunto e como preservar a saúde mental, além de medidas preventivas e terapêuticas eficazes de tratamento deste mal que aflige tantas mulheres.

 

2) Depressão pós-parto: segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), uma em cada cinco mulheres poderá presenciar algum impacto em sua saúde mental durante a gravidez ou após o nascimento do bebê. Durante este período, podem, inclusive, ocorrer pensamentos suicidas e por isso é fundamental que familiares e amigos estejam atentos aos sinais. Filipe Colombini aponta as causas, sintomas e como  superar o problema.

 

3) Relacionamentos abusivos ou tóxicos: Filipe Colombini aborda a dependência emocional que leva mulheres a permanecer em relações que não são saudáveis. O fato é que muitas mulheres se tornam dependentes afetiva, física e socialmente de seus parceiros. Veja porque isso acontece, como se prevenir e como sair desses relacionamentos e “tratar” as feridas emocionais decorrentes deles.

 

4) Cuidados de saúde feminina para prevenir ansiedade e depressão: acúmulo de funções, padrões de beleza impostos e a pressão pelo corpo perfeito são alguns dos fatores que colaboram para a sobrecarga emocional da mulher. O psicólogo Filipe Colombini aborda cuidados como a prática de exercícios físicos e a importância de ter uma rede de apoio, por exemplo, para prevenir a ocorrência de transtornos como a ansiedade generalizada e a depressão.

 

5) Burnout materno: é o esgotamento da mãe que tem a ver com todas as funções que uma mulher é pressionada a ter, desde como profissional até como mantenedora das tarefas domésticas. Filipe Colombini explica como identificar o problema e também medidas eficazes para tratamento.

 

6) Menopausa e saúde mental: a menopausa, por ser uma fase que traz mudanças fisiológicas importantes, pode ser estressante e contribuir para o surgimento de sintomas como instabilidade emocional, irritabilidade, qualidade de sono prejudicada. Filipe dá dicas sobre como a mulher pode atravessar esse período desafiador com a máxima tranquilidade e como driblar eventuais problemas.

 

7) Suporte às vítimas de violência e assédio: globalmente, uma em cada três mulheres sofre violência física e/ou sexual ao longo da vida, de acordo com a OMS. Filipe Colombini aborda sobre o padrão e sobre questões psicológicas das vítimas de abuso e como deve ser seu acompanhamento e tratamento, a fim de gerar o menor trauma possível.

 

Fonte: https://www.sejahojediferente.com/2023/02/dia-internacional-da-mulher-saude.html

O que você está buscando?

google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc api.clevernt.com/3ed9a8eb-1593-11ee-9cb4-cabfa2a5a2de/ google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc UA-190019291-1 google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc