Viana de Assis, Dignidade e coragem cívica em Sergipe

Igor Salmeron, 10 de Outubro, 2023

 

Sergipe no ano de 2010 perdeu um dos seus principais personagens: Viana de Assis. Para quem estuda a História sergipana e seu âmbito político-social, sabe que ele foi um dos principais epítomes no que se refere às contribuições na edificação democrática estatal bem como ao seu sólido desenvolvimento. Advogado de talento singular, atuou como militante histórico junto ao MDB dentre diversas facetas.

 

O então garoto Antônio Fernandes nasceu em 12 de setembro do ano 1933 desfrutando de lúdica infância. Seus pais eram: o comerciante Antônio Veriano de Assis e Dona Edith Viana de Assis. Esse período do seu florescer juvenil nos remonta ao regime de Getúlio Vargas conhecido como Estado Novo. Crescido num universo de anseios oníricos de esperanças desenvolvimentistas, sabia desde a tenra idade o valor inconteste das conquistas sociais.

Nesse quadro populista, vai assumindo seus ares de homem feito. Figura que esteve à frente dos mais variados movimentos estudantis, com a compleição de progresso e modernismo. Dos seus altivos predicados, podemos enfatizar a lancinante sensibilidade, principalmente volvida aos mais carentes de esperança. Intrepidez, boa oratória e engajamento coletivo também se realçam em sua vitrine de predicados.

Seus primeiros passos escolares remontam ao Grupo Escolar Manoel Luiz, Salesiano e Atheneu, onde presidiu o Grêmio Cultural Clodomir Silva. Estudioso e dedicado, Viana de Assis se forma na Faculdade de Direito na turma de 1957, e bosqueja pelas sinuosas veredas das batalhas partidárias. Foi influenciado pelos grandes mestres, os Professores Renato Cantidiano e Armando Rollemberg que o recrutaram para os quadros do PR. Atuou na Ação Popular, e advogou na área trabalhista donde convivia ao lado de vultos como Jaime Araújo e Tertuliano Azevedo, que eram seus colegas e profundos amigos.


 

Exerceu cargo de Assessor na Prefeitura de Aracaju, depois foi nomeado Delegado do INCRA em Propriá, onde edificou sua base de atuação política, liderando o PSD e o PR. Nesse interim se elege Deputado Estadual em 1958 pelo Partido Republicano. Na Tribuna da Assembleia faz-se notório pelos embates. Do seu exórdio hermenêutico era bancada de oposição ao Governo Luiz Garcia, liderada pelos colegas Cabral Machado e Pedro Barreto do PSD.

Depois, foi reeleito como líder do então Governo Seixas Dória. Na tenebrosa época do Regime Militar Seixas Dória foi cassado bem como foram também cassados os então Deputados Cleto Maia, Nivaldo Santos, Baltasar Santos e Viana de Assis, todos apeados dos mandatos nessa sombria ocasião.

Vale destacar o vibrante discurso de Viana de Assis proferido naquelas noites de medo e terror. Atributos como coragem, destemor e exaltação firme da esperança são dos mais conspícuos em sua inesquecível conduta. Liberdade e democracia sempre foram pontos defendidos veementemente por ele em suas falas e práticas.

Típico dos grandes homens, Viana de Assis permanece como perene exemplo entre os sergipanos. Depois de passar por diversas humilhações jamais fraquejou, ao contrário se fortaleceu. Prova disso é que nos anos sucedâneos seu escritório de advocacia se tornou requisitado por todas as lides.

Viana de Assis foi o 1º Presidente do Rotary Clube Aracaju Norte, sendo este o 2º clube rotário em cenário telúrico. Inquieto e empreendedor, diversificou sua ampla cartilha de negócios. Sagaz, soube edificar sociedade em atividades de plantio, vindo depois a se tornar grande empresário no ramo hoteleiro.

No Rotary, se fez líder nato. Atingiu a Governadoria do Distrito 455, donde com sua capacidade aglutinadora, conseguiu reunir inúmeros rotarianos de Sergipe, Alagoas e Bahia. Se elegeu Comodoro do Iate Clube de Aracaju donde empreendeu marcante revitalização do clube da Praia Formosa, com programação festiva e fortalecendo a rica cultura local.

Atuou diversas vezes como Secretário de Estado, na época em que foi companheiro de chapa como Vice-Prefeito no pleito que elegeu Jackson Barreto. Atuou como Prefeito da capital, após cassação política de JB entre 1988 e 1989, período em que demonstrou celeridade administrativa com ações exemplares: embelezamento do calçadão da 13 de Julho, logradouro que ficou conhecido de forma popular como “Calçadão de Viana” foi um dos seus benéficos intentos.

Vale enfatizar quando foi Secretário da Indústria e Comércio consolidando postura em defesa do turismo, como exemplificada pela construção do Hotel Beira Mar. Sergipe deve aprender a cultuar seus filhos de maneira contínua e mais vivaz. Viana de Assis, se destacou, como vimos, em liderança de classe, cordialidade, espírito público, agindo como importante porta-voz de grupos e entidades da sociedade civil, bem como junto ao Rotary, deixando imorredouras lições quando o assunto era debate de problemas profissionais e da comunidade.


 

Viana foi prestativo agente que serviu tanto às entidades estatais quanto privadas. Uma inspiradora existência de irrestrita dedicação às causas humanistas abraçadas. Na seara doméstica se uniu a D. Iara Delpoz, uma lutadora em prol do Movimento de Educação de Base, àquela que o fortalecia nos momentos lúgubres e de compartilhadas alegrias.

Conclui-se que Viana de Assis sempre será lembrado como modelo pertinaz de atuante cidadania para as presentes e futuras gerações. Homem compromissado que não esmorecia perante as intempéries de qualquer natureza, sua trajetória corrobora nessa concludente assertiva.

* Artigo escrito por Igor Salmeron. Doutor em Sociologia pela UFS. Sociólogo, Biógrafo, escritor e articulista. Membro honorário da ALCS e do Movimento Cultural Antônio Garcia Filho da Academia Sergipana de Letras. E-mail: igorsalmeron_1993@hotmail.com.

O que você está buscando?

google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc