Atletas que passaram pelo esporte universitário se destacam no Pan de Santiago

JUBs e competições universitárias internacionais fazem parte do currículo de alguns medalhistas da competição

Carlos Eloy, 11 de Novembro, 2023 - Atualizado em 11 de Novembro, 2023

Os Jogos Pan-Americanos, que aconteceram em Santiago, no Chile, encerraram com a melhor campanha brasileira da história. A delegação conquistou o segundo lugar absoluto no quadro geral de medalhas, atingindo recorde de ouros, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e com uma diferença significativa do terceiro colocado, o México. Foram 66 ouros, 73 pratas e 66 bronzes, totalizando 205 medalhas e o Brasil garantindo 40 vagas para os Jogos Olímpicos de Paris em 2024.

Alguns atletas que estiveram nos pódios de Santiago 2023 também são parte da história do esporte universitário. Muitos deles iniciaram no esporte escolar, chegaram até o esporte universitário e se consolidaram no esporte de alto rendimento com a participação em competições nacionais, como os Jogos Universitários Brasileiros – JUBs, e internacionais, como os Jogos Pan-Americanos.

Atletas como Felipe Bardi, Kayo Santos e Amanda Lima, que conquistaram medalhas no Pan de Santiago, tiveram passagens pelos JUBs e continuam a projetar a competição como uma importante experiência na carreira como atleta.

O judoca de 21 anos Kayo Santos, que assegurou a medalha de bronze disputando na categoria até 100kg, participa das competições promovidas pela CBDU e pretende continuar a disputar jogos universitários. Em 2019, esteve nos Jogos da Juventude e, no mesmo ano, conquistou ouro no Pan-Americano Júnior em Cali, na Colômbia, título que o garantiu em Santiago 2023. Em 2021, esteve como “sparring” nas Olimpíadas de Tóquio, um tipo de membro de apoio da delegação de judô que auxilia nos treinos dos atletas que vão disputar medalha.

Em junho deste ano, participou do Desafio universitário de Judô e ficou com o bronze na categoria -100kg. Após dois anos de preparação para disputar o Pan em Santiago projetando uma vaga nas Olimpíadas de Paris, saiu da competição com um novo bronze, objetivo atingido e vontade de continuar a competir no maior evento esportivo universitário do Brasil.

“Para mim, ganhar essa medalha foi muito importante, principalmente para minha minha carreira. Fiquei muito feliz porque essa era uma competição que eu tinha como alvo este ano e sair de lá com essa medalha foi como ganhar um ouro. Vou continuar participando dos JUBs porque é uma competição forte que atinge vários atletas de todos os estados do Brasil e tenho certeza que vai ser muito importante tanto para minha carreira esportiva quanto para minha carreira pessoal”.

Outro grande exemplo de potência que tem histórico nos Jogos Universitários Brasileiros é o velocista Felipe Bardi. No Pan, foi ouro no revezamento 4x100m e prata nos 100m rasos.

Em 2022, saiu dos JUBs com três medalhas de ouro – 100m, 200m e 4x100m. Além disso, o estudante de educação física da UniSantana correu a prova dos 100m em 10s, marca que só foi alcançada uma vez pelo velocista brasileiro Robson Caetano, em 1988. Contudo, o recorde de Bardi não foi homologado por causa do vento em Brasília, cidade sede da competição.

Amanda Lima, por sua vez, foi a grande campeã do judô na edição de 2017, em Goiânia e medalha de prata na edição de 2019, em Salvador. A atleta conquistou o bronze em Santigo na categoria até 48kg.




Felipe Bardi, Amanda Lima e Kayo Santos no Pan – Fotos: Gaspar Nóbrega/COB; Anderson Neves/CBJ
Neste ano, a CBDU levou até os Jogos Mundiais Universitários em Chengdu, na China, diversos outros atletas que também marcaram presença nos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023 e brilharam em suas respectivas modalidades. Abaixo a relação de atletas.

Natação : Jhennifer Conceição (bronze no revezamento 4x100m medley misto); Breno Correia (ouro no revezamento 4x100m livre e no revezamento 4x200m livre); Brandoon Almeida (bronze nos 400m medley); Clarissa Rodrigues (revezamento 4×100 medley); Maria Luiza Pessanha (prata no revezamento 4x200m livre); Maria Paula Heitmann; Nychelly Lysy; Matheus Gonche; Thiago Ruffini; Gabriel Fantoni (prata no revezamento 4x100m medley e bronze no 4x100m medley misto);

Atletismo: Marlene Santos (prata nos 400m com barreiras); Anny Bassi (bronze no 4×400 feminino); Letícia Nonato (prata no revezamento 4x400m misto e bronze no Rev. 4×400); Matheus Correa (5º colocado na marcha atlética); Gabriela Mourão; Lucas Vilar – não esteve em Chengdu, mas participa de JUBs (ouro nos 400m rasos, revezamento 4x400m e prata no 4×400 misto); Fernando Ferreira (prata no decatlo).

Basquete: Felipe Ruivo (bronze)

Saltos ornamentais: Anna Lúcia dos Santos (ouro nos JUBs Seletivas); Rafael Max (ouro e prata nos JUBs Seletivas) e Rafael Fogaça (ouro e prata nos JUBs Seletivas).

Sabrina Machado (prata no vôlei);

Gabriel Falcão (um ouro e uma prata no judô);

Lucas Ostapiv (bronze no taekwondo).

 

 

 

 

 

O que você está buscando?

mgid.com, 539646, DIRECT, d4c29acad76ce94f amxrtb.com, 105199704, DIRECT