Convenção e campanha podem ser virtuais, mas e as consequências dos votos?

Habacuque, 17 de Junho, 2020 - Atualizado em 17 de Junho, 2020

Estamos em meio a uma pandemia, há uma forte preocupação dos setores responsáveis pela Saúde pública com o crescimento do número de infectados e de mortos por conta do novo coronavírus (COVID-19); por sua vez, o setor produtivo já está em desespero temendo uma longa jornada de retomada da atividade econômica, já com forte desemprego e queda assustadora no consumo da família brasileira. Pressionado, o governador sergipano Belivaldo Chagas (PSD) está muito pressionado e já anunciou um plano de retomada com a flexibilização do comércio.

Só que, enquanto não existe nenhuma perspectiva sobre quando Sergipe atingirá o tão esperado “pico” da pandemia, enquanto não existe previsão para o fim das restrições sanitárias de isolamento social e segurança no combate ao vírus, eis que no “País da Democracia” se discute a realização das tradicionais eleições. Este ano o cidadão deverá ir à urna eleitoral para confiar um voto para prefeito e para vereador do seu município. Por enquanto isso não mudou, mas o que já é praticamente certo é a possível mudança da data do 1º turno da eleição.

Este assunto divide a classe política; uns defendem a manutenção do pleito para 4 de outubro; outros querem o adiamento para o intervalo de 15 de novembro a 20 de dezembro (2º turno); outros já defendem abertamente a prorrogação de mandatos para 2021 ou 2022, com a unificação as eleições. Magistrados, políticos e “entendidos” vetam esta possibilidade, utilizando como “escudo” a Constituição Federal, Carta Magna que, diga-se de passagem, vez ou outra, está sempre sendo superada. Mas, quem decide não somos nós, infelizmente...

A “autoridades do País” já decidiram que as convenções partidárias, entre 20 de julho e 5 de agosto, para escolha dos candidatos que vão disputar a eleição pelos partidos, poderá ser realizada de forma “virtual”, ou seja, além da relação, a Justiça Eleitoral exige apenas um vídeo da convenção na íntegra; apesar de ainda não existir um consenso, já se fala nos bastidores que teremos uma campanha mais “virtual” que o normal, ou seja, não será apenas uma disputa nas redes sociais, mas a depender da pandemia, atos públicos podem ficar comprometidos.

A depender do grau em que se encontrar a contaminação do coronavírus, já existem rumores de proibição de carreatas, caminhadas, reuniões e comícios. Fala-se até em ampliar o horário de votação em três horas extras e aumentar o tempo dos programas eleitorais no rádio e na televisão, para que o cidadão conheça melhor os candidatos que estarão prejudicados sem suas campanhas nas ruas. Apesar de todas as adversidades, muitos defendem, intransigentemente, a realização das eleições este ano, sob o risco de se “ferir” o “rito democrático” da alternância de poderes...

Como seria bom se o cidadão comum pudesse fazer valer esta influência que tem nas urnas, na hora de votar! Em alguns países, inclusive, há o receio de uma 2ª onda do vírus; não temos um remédio, uma vacina; não temos nem um volume de respiradores para atender o povo pobre onde se constrói hospital sem leito de UTI! Quem dera se vivêssemos no “mundo da fantasia”, onde se encontra solução para tudo! Em síntese, que as “autoridades” reflitam: a convenção e campanha eleitoral podem até ser virtuais, mas as consequências dos votos são sempre bem reais...

 

Veja essa!

Em tempos onde a população não anda querendo nem ouvir falar em eleição, o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM), encontrou uma “solução” para a tendência de termos campanhas eleitorais “virtuais” este ano: aumentar o tempo da propaganda eleitoral nos meios de comunicação.

 

E essa!

Pela proposta de Rodrigo Maia, para que o eleitor conheça melhor seus candidatos, além da prorrogação da eleição para novembro e dezembro, outra ideia seria aumentar o tempo de campanha na televisão. O que você acha?

 

Campanha longa?

Os pré-candidatos que defendem que a eleição ocorra em novembro e dezembro só fazem uma “exigência” à Justiça Eleitoral: a turma não quer nem pensar na possibilidade do período da campanha ser “esticado”. Em crise, mais tempo representa mais despe$a$...

 

Campanha cara

E que ninguém se engane: com tanto desemprego, com muitas famílias sobrevivendo à base do auxílio de R$ 600 do governo federal, com tantos empresários “quebrando”, estamos diante de uma das eleições mais “caras” da história! A “turma” está ansiosa pelas visitas dos políticos este ano...

 

Redes sociais

Se em outras eleições as redes sociais tiveram um papel quase que decisivo para a vitória de determinados candidatos, este ano, em pleno isolamento social, haja paciência para suportar as “campanhas” nos grupos de “zap-zap” e demais plataformas. No interior, então, não ter outro assunto para se discutir até o final do ano...

 

Fake News

Falando em redes sociais, a delegada e pré-candidata a prefeita de Aracaju, Danielle Garcia (Cidadania) desfez mais um “fake News” da política: “pessoal, qualquer informação sobre definição vice em nossa chapa é pura especulação. Nada definido. Seguimos dialogando com outros partidos e será escolhido o melhor nome no momento adequado”.

 

Exclusiva!

Ao longo dessa terça-feira (16) chegou para este colunista a informação que mo escolhido pelo governador Belivaldo Chagas para dirigir o Banese, em substituição a “Tio Fernando”, Ademário Alves, teria algum impedimento, por questões políticas ou de filiação partidária de familiares próximos, e assim não poderia assumir o comando do Banco dos sergipanos.

 

Saumíneo?

Há quem defenda o nome de Saumíneo Nascimento para voltar ao comando do Banese. Ele já ficou à frente do Banco por indicação do ex-governador Marcelo Déda (in memoriam). Há quem diga que outro nome estaria nos planos do governo, como uma espécie de “Plano B”. É esperar as “cenas dos próximos capítulos”...

 

Bomba!

A polêmica da fatídica compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste virou, literalmente, um caso de polícia. O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB/MA) protocolou representação na Polícia Federal, Ministério Público Estadual e Federal, CGU, OAB e Tribunal de Contas do Maranhão. Em Pernambuco, o TCE já determinou que o governador suspenda qualquer repasse de recursos para o Consórcio, temporariamente...

 

Política pura I

A prova que faltava para o “direcionamento ideológico” do Consórcio Nordeste: o senador baiano Jaques Wagner (PT), em sua conta no twitter, “sugere” que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), através do Consórcio Nordeste “crie um conselho interestadual de segurança alimentar”.

 

Política pura II

A “sugestão” de Jaques Wagner é uma “atuação conjunta” na aquisição de alimentos e no amparo às famílias que vivem da Agricultura Familiar. “Para fazer frente à extrema direita que vem se articulando, cada vez mais temos que reforçar as nossas ligações fora do Brasil com os movimentos ambientalistas”. É política pura, ou não? Galeguinho, galeguinho! Abra do olho, cabra véi!

 

Georgeo Passos I

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) já está analisando o projeto básico do governo do Estado para a contratação emergencial de um hotel para o acolhimento dos profissionais da saúde no município de Aracaju que estão na linha de frente de combate à pandemia e que testarem positivo para a COVID-19.

 

Georgeo Passos II

Dentre os serviços contratados para o HOTEL, chamou a atenção do parlamentar o serviço de segurança, ARMADA 24 HORAS, durante sete dias da semana e um posto com quatro seguranças trabalhando em escala de 12x36. “Até onde eu sei, até no HUSE, os vigilantes que trabalham lá não fazem VIGILÂNCIA ARMADA”, pontua o deputado.

 

Fiscalização

Outro assunto que chamou a atenção do deputado foi a contratação de empresa especializada em higienização tipo hospitalar, com serviço 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, em regime de escala de 12x36. “É preciso verificar quem fará a fiscalização desses serviços e se eles não vão elevar demais o valor desse contrato”, alerta Georgeo Passos.

 

Consórcio enrolado

Falando em Georgeo Passos, ele que é membro da Frente Parlamentar suprapartidária de vários Estados e que está investigando a polêmica compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste, tem alertado que o assunto tem tido grande repercussão na mídia regional. Georgeo tem sido procurado por jornalistas de várias unidades da Federação que desejam ouvi-lo sobre o projeto, em parceria com o deputado Zezinho Guimarães (MDB), para a retirada de Sergipe desse Consórcio enrolado.

 

Falando nele

O governador Belivaldo Chagas inicia o processo de flexibilização parcial do comércio a partir desta quinta-feira (18). Ainda foi anunciado um cronograma de início da reabertura de atividades consideradas não essenciais a partir da próxima semana, na quarta-feira (24).

 

Voltam na quinta

A partir de quinta-feira poderão retomar suas atividades o comércio de eletrodomésticos, eletrônicos e elétricos, comunicação, informática, equipamentos de áudio e vídeo; comércio de móveis e colchões; escritórios de engenharia e arquitetura; concessionárias de veículos; imobiliárias e similares. Todas estas atividades terão que funcionar em horários específicos, das 9 h às 16 horas, dentro da estratégia do governo de não aumentar a aglomerar mais pessoas no serviço de transporte coletivo.

 

Colaboração da sociedade

Já o cronograma que versa sobre o retorno das atividades não essenciais a partir do dia 24 vem dividido em três fases, nas cores laranja, amarela e verde, respectivamente. O governo deixa claro que a abertura será gradual e o planejamento é detalhado em seis semanas, a contar da próxima. Outro detalhe: mesmo que a flexibilização contemple os serviços da cor laranja, o processo só será continuado para as cores amarela e verde se houver colaboração da sociedade, quanto as medidas de isolamento social.

 

Rigor científico

Tudo também vai depender do comportamento dos indicadores epidemiológicos. Algumas atividades continuam sem retorno definido, como escolas, universidades, creches, teatros, cinemas e eventos maiores, que possam reunir muitas pessoas em um espaço limitado. “O plano obedece a um rigor técnico e científico. Trabalhamos, desde o princípio, com planejamento baseado em evidências científicas e assim faremos também agora, seguindo o que a Ciência orienta para uma retomada segura e responsável”, pontua o governador do Estado.

 

Quantidade de leitos

Belivaldo também lembrou que os avanços no sentido de flexibilizar as atividades comerciais estarão diretamente relacionados ao controle da disseminação da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A Fase atual, para evoluir para 1ª Fase deverá haver uma taxa de ocupação de UTI menor ou igual 70%. Após o período de 14 dias, deve-se chegar a 2ª Fase (bandeira amarela), quando a taxa de UTI precisa ser menor ou igual a 60%. Estima-se que, 14 dias depois, passar para a 3ª Fase do plano (bandeira verde), com uma taxa de ocupação de UTI menor ou igual a 50%.

 

Pode fechar

Sempre intercalando as fases com reuniões de avaliação do Comitê Gestor, nas quais serão detalhados os indicadores: média da taxa de ocupação UTIS de Covid-19; pacientes confirmados em leitos de UTI de Covid-19; incidência de novos casos confirmados; número de óbitos e outros indicadores complementares. “A ideia que a gente flexibilize mais nos territórios com menos casos e flexibilize menos nos territórios com mais casos, como está sendo na Grande Aracaju. Mas se os demais municípios não fizerem sua parte, a gente fecha a região”, advertiu Belivaldo.

 

Ofício

O Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público do estado de Sergipe (MP/SE) encaminharam  ofício ao governador Belivaldo Chagas, requisitando detalhes sobre os critérios e as evidências científicas levados em consideração para elaboração do plano de flexibilização do isolamento social em Sergipe. O ofício encaminhado estabelece prazo de 72 horas para envio dos esclarecimentos.

Querem avaliar

De acordo com documento, o anúncio feito pelo governo do estado do plano de retomada progressiva das atividades econômicas, publicado no Decreto nº 40.615, necessita ser melhor detalhado. Os Ministérios Públicos afirmam que é preciso avaliar se os dados em que o decreto se baseia são suficientes para garantir a segurança da medida, no que diz respeito a manter sob controle a taxa de infecção associada de covid-19 no estado e também a capacidade operacional do sistema público de saúde.

 

Evidências científicas

Para o MPF, o MPT e o MP/SE, o ato governamental deve se basear na Lei nº 13.979/2020, que estabelece que a adoção de medidas de enfrentamento à emergência de saúde pública por covid-19 deve se respaldar em evidências científicas. Para os Ministérios Públicos, a legislação tem que ser aplicada na adoção de providências que promovam a flexibilização do isolamento social, especialmente por ainda não existir tratamento clínico atualmente eficaz para a patologia e, sobretudo, pelo manifesto crescimento do número de casos confirmados e de óbitos pela doença no estado.

 

Defensoria Pública I

Após receber inúmeras reclamações de idosos que necessitam do transporte público para questões vitais como consultas médicas urgentes e aquisição de alimentos e medicamentos, a Defensoria Pública do Estado de Sergipe, através do Núcleo do Consumidor, ingressou com Ação Civil Pública (ACP) em face do Município de Aracaju para determinar a suspensão do Decreto Municipal nº 6.140, a fim de que se restaure integralmente o direito à gratuidade tarifária no transporte público das pessoas idosas.

 

Defensoria Pública II

Segundo o defensor público e diretor do Núcleo, Orlando Sampaio, a Defensoria Pública enviou um ofício/recomendação ao Município de Aracaju solicitando que apresentasse justificativa técnica específica e dados estatísticos que indicassem a eficácia da suspensão da gratuidade tarifária, principalmente quanto ao prejuízo gerado para idosos que precisam do transporte público.

 

Orlando Sampaio

“Caberia ao Município a demonstração de que essa medida não estaria a prejudicar aqueles que continuam necessitando desse transporte, o que não foi feito. O ato normativo municipal não impede a circulação de idosos, em verdade prejudica a camada mais pobre que continuará usando o transporte público, embora tendo que arcar com o valor da passagem, por isso, a Defensoria Pública ajuizou ACP com o escopo de restaurar o direito à gratuidade de pessoas com idade a partir dos 65 anos”, disse.  

 

Fere a CF

Para o membro da Defensoria Pública, o Decreto Municipal fere os direitos preceituados na Carta Magna e Estatuto do Idoso.  “O direito à gratuidade é garantido diretamente pela Constituição Federal em seu art. 230, parágrafo segundo, além de estar previsto no art. 39 do Estatuto do Idoso. Não pode, portanto, decreto executivo municipal, alheio a qualquer fundamentação técnica e estatística conforme condicionado pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento cautelar da ADI nº 6341, violar esse direito”, salientou Orlando Sampaio.

 

Dos pedidos

Nos pedidos, a Defensoria Pública pleiteia a concessão da tutela provisória antecipada de urgência para determinar a suspensão imediata da validade do art. 2º do Decreto Municipal nº 6.140, a fim de que se restaure integralmente o direito à gratuidade tarifária no transporte público das pessoas idosas.

 

Multa diária

Em caso de descumprimento da ordem judicial, seja ela provisória ou definitiva, a Defensoria Pública requer a aplicação de multa diária, em valor a ser fixado conforme o prudente critério do magistrado, com fundamento no § 5º do art. 461 do Código de Processo Civil e demais cominações legais.

 

Ibrain Monteiro

O deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) usou suas redes sociais para tornar público que se submeteu ao exame de COVID-19 e testou positivo. O parlamentar encontra-se cumprindo o isolamento social em sua residência, no município de Lagarto, e encontra-se assintomático. A coluna deseja boa e rápida recuperação.  

 

Alese I

Os deputados estaduais voltam a se reunir, em ambiente virtual, na manhã desta quarta-feira (17), em mais uma sessão remota, por conta do novo coronavírus (COVID-19). Na tarde de hoje (16), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luciano Bispo (MDB), em entendimento entre os líderes da situação e da oposição e a secretaria-geral da Mesa Diretora da Casa, definiu a pauta de votação para a sessão deliberativa de amanhã.

 

Alese II

Do Poder Executivo será apreciado o projeto de lei que dispõe sobre jornada de trabalho e salário base para condutores de veículos de urgência, empregados públicos efetivos da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), com atuação no Samu/Estadual. Também do Governo será apreciado pelos deputados o projeto que o autoriza a doar, ao município de Maruim, uma área de terra situada na Rua Santa Luzia, s/n, anexa ao Colégio Estadual Felipe Thiago Gomes, pertencente ao Estado de Sergipe.

 

Outros I

De autoria do deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) entra na pauta o projeto que dispõe sobre direitos a serem usufruídos pelos doadores de sangue; já do deputado Luciano Pimentel (PSB) o projeto que institui o Dia de Prevenção ao Feminicídio.

 

Outros II

Do deputado Talysson de Valmir (PL) será apreciado o projeto que declara o Movimento Católico Apostolado da Oração (AO) como Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Sergipe; já da deputada Janier Mota (PL) a discussão será sobre o projeto que instituí, no âmbito do Estado de Sergipe, o dia 14 de agosto como Dia Estadual do PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência).

 

Outros III

O deputado Luciano Pimentel também apresentou um projeto que obriga as instituições financeiras públicas e privadas a promoverem e a custearem testes diagnósticos para a Covid-19 de seus funcionários, enquanto perdurar o estado de emergência na saúde pública em Sergipe.

 

Outros IV

Já da deputada Maria Mendonça (PSDB) entra na pauta o projeto que dispõe sobre a prioridade de atendimento para os profissionais de saúde, na vigência de emergência em saúde pública em Sergipe; e o projeto da também deputada Goretti Reis (PSD) que dispõe sobre medidas de combate e prevenção à violência doméstica e familiar contra a mulher, bem como à violência praticada contra idosos, crianças e adolescentes, durante a declaração de estado de emergência ou de calamidade pública.

 

Alô Aparecida I

Uma notícia movimentou os bastidores da política de Nossa Senhora Aparecida no último fim de semana quando lideranças do grupo político liderado pela prefeita Vera Santos (MDB) cogitaram que o vereador e vice-presidente da Câmara de Vereadores Alessandro Totô (MDB) pode ser o companheiro de chapa encabeçada pelo pré-candidato Clarinaldo Andrade. Totô é primo de primeiro grau e Clarinaldo vem a ser cunhado da gestora, criando assim uma “chapa caseira” que daria estabilidade e pacificaria o grupo.

 

Alô Aparecida II

A articulação é encabeçada por vereadores da base e lideranças que não aceitam uma possível pré-candidatura do empresário Marquinhos Pereira, que atualmente é vereador e ocupa o presidência do Poder Legislativo Municipal. Pela leitura dos defensores de uma futura dobradinha Clarinaldo/Totô a tradição familiar e o trabalho prestado pelas duas famílias ao povo de Aparecida poderá ser decisivo na hora da avaliação do eleitorado. Clarinaldo é irmão de Antonio Andrade (im memorian), esposo de Vera, enquanto Totô é primo paterno da prefeita e pelo lado familiar materno é neto do ex-prefeito Manoel Torquato de Jesus, o Tentente (im memorian).  

 

Emília Corrêa I

Defensora do isolamento social para funções que podem ser desempenhadas em casa e para grupos de risco, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) se posiciona contrária a medidas mais extremas como “Lockdown”. Ela acredita que estão “forçando a barra” para que esse bloqueio aconteça na capital.

 

Emília Corrêa II

“Os recursos federais chegaram, e não foram poucos, não se tem absolutamente nada de efetivo e o que a gente percebe é que estão forçando a barra para que haja o lockdown. E esses três meses de isolamento social, o que foi feito? E os pequenos comerciantes que já estão passando necessidade, e os pais/mães de famílias que perderam suas rendas, como ficam?”, questiona a vereadora

 

Emília Corrêa III

Para Emília, a ajuda do auxílio emergencial fornecida pelo Governo Federal, é necessária, mas não é o suficiente, e a população precisa trabalhar, é questão de sobrevivência. “Estou muito preocupada com esta situação que estamos passando.  As famílias estão pedindo socorro. Essa ajuda é bem-vinda, claro, mas não dá conta”, pontuou.

 

Povo quer trabalhar!

A parlamentar explicou que é possível fazer a abertura gradativa do comércio seguindo as orientações. “As pessoas querem e precisam trabalhar. Obviamente, dentro de todo regramento: usando máscaras, usando o álcool, mantendo o distanciamento, sem aglomeração... e quem, porventura, não seguir as orientações, neste caso, sim, fecha. Para isso deve reforçar a fiscalização. Cada um fazendo sua parte”, afirmou. E, por fim, endossa: “nunca cuidaram da saúde do povo, alegando de forma dissimulada falta de recursos... E agora? Muito triste tudo isso”, concluiu.

 

Laércio Oliveira I

O deputado federal Laércio Oliveira solicitou no Ministério da Agricultura a liberação de recursos para ajudar no trabalho de prevenção de doenças do rebanho ou de plantações. O parlamentar assinou na Superintendência Federal da Agricultura em Sergipe (SFA) a liberação dos recursos no valor de quase R$ 2 milhões.

 

Laércio Oliveira II

O convênio tem como objetivo a estruturação de serviços de Defesa Agropecuária do estado, visando executar ações delegadas pelo Ministério, bem como diversos programas de prevenção e controle de saúde animal e vegetal. “Precisávamos sensibilizar e mostrar ao Ministério da Agricultura a importância desse recurso. A defesa agropecuária sergipana é importante para prevenir doenças de rebanho e doenças que podem atingir as culturas”, explicou o superintendente Federal da Agricultura em Sergipe, Haroldo Araújo.

 

Laércio Oliveira III

Com esses recursos foram adquiridos computadores, impressoras, GPS, drones, sistema de informática, equipamentos para laboratórios e produtos, seis veículos de passeio, três camionetes pick-up e três utilitários leves, além de ajuda de custeio.  “Esses veículos serão utilizados para as atividades de defesa agropecuária, sejam elas de monitoramento de pragas, doenças, e também, nos postos de fiscalização. Os equipamentos farão diferença da estruturação do trabalho”, explicou.

 

Alô Socorro!

Conhecido devido a sua atuação contra irregularidades na administração pública e taxas abusivas através do movimento Atitude Sergipe (MOVA-SE), Uilliam Pinheiro  se coloca como pré-candidato a vereador e tentará neste ano uma cadeira na Câmara de Vereadores de Nossa Senhora do Socorro. Ele está filiado ao Cidadania, partido presidido em Sergipe pelo senador Alessandro Vieira e em Nossa Senhora do Socorro pelo deputado estadual Samuel Carvalho.

 

Uilliam Pinheiro I

Natural de Tobias Barreto, reside em Nossa Senhora do Socorro desde os 07 anos de idade e é graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Sergipe. Tem sua própria visão de política. “Defendo a necessidade de renovação política constante e a formação de uma nova geração de lideranças e que o Estado seja eficiente no uso dos recursos públicos priorizando o cuidado com as pessoas”, destaca.

 

Uilliam Pinheiro II

“Entrei na vida política porque não suportava mais ficar de braços cruzados vendo tanta desigualdade social, injustiça e corrupção sistêmica ocorrendo no Brasil como também a falta de compromisso real da classe política em Nossa Senhora do Socorro com o desenvolvimento da cidade, e dado isso, era necessário contribuir para mudar essa realidade”, ressalta Uilliam Pinheiro.

 

Alô farmacêuticos!

O Conselho Regional de Farmácia de Sergipe em parceria com a Universidade Federal de Sergipe vai realizar uma pesquisa de testagem e monitoramento da Covid-19 com 50 farmacêuticos no próximo dia 20, das 8h às 11h, no modelo Drive Thru, no estacionamento do Conselho, localizado na travessa João Mangueira S/N, bairro 13 de julho. A seleção dos farmacêuticos voluntários acontecerá por sorteio na quinta-feira (18/06) através de uma live no perfil @crfse às 14:30. Às inscrições encerram às 23h59 desta quarta-feira (17). Todas as informações estão disponíveis em www.crfse.org.br.

 

MRV em Aracaju

A MRV, plataforma de soluções habitacionais presente em mais de 160 cidades brasileiras, acaba de anunciar o investimento de mais de R$ 148 milhões em Aracaju. Este montante será para a construção de três novos empreendimentos, que serão lançados nos próximos meses, e para obras e melhorias na infraestrutura da vizinhança dos condomínios, como novas vias de acesso na região, revitalização da faixa de preservação, passeios, iluminação pública, sinalização viária, paisagismo, extensões de rede de abastecimento de água e esgoto.

 

1.444 unidades

Segundo Bruno Magalhaes Peixoto Sousa, gestor de vendas da companhia em Sergipe, ao todo serão 1.444 unidades. Com estes novos lançamentos, a empresa estima movimentar o mercado de trabalho com o envolvimento de 400 profissionais nos canteiros de obras.  “O primeiro condomínio fechado será lançado ainda este ano. O Praia de Atalaia terá 404 unidades e será construído no Centro Administrativo. Além desses investimentos, também reformamos nossa loja (Av. Tancredo Neves, s/n°) para melhor atender o público, após este período de distanciamento”, fala o executivo.

 

Mercado neste momento

Há nove anos em Sergipe, a companhia conta com dois empreendimentos à venda em Aracaju, Parque Alameda Real (Região Marivan) e Parque Alameda da Costa (Barra dos Coqueiros). Bruno ainda exemplifica as condições especiais de ofertas, como: “descontos de até R$ 5 mil, entrada em até 60 vezes, isenção de INCC, seguro prestamista e seguro bonificado, documentação grátis (ITBI e registro)”.

 

Inflação controlada 

Além disso, de acordo com Bruno, há hoje no país fatores que colaboram com aqueles que desejam comprar um imóvel, como inflação controlada, juros dos bancos baixos e opções variadas de financiamento. “A Caixa Econômica Federal anunciou, em abril, outras medidas que estimula o mercado, como a liberação de R$ 43 bilhões para o financiamento da casa própria, que somam aos mais de R$ 111 bilhões divulgados anteriormente, carência de seis meses para novos contratos imobiliários de pessoas físicas e taxa de juros mais baixa”, completa o executivo.

 

Live sobre Telemedicina

Com o tema “Pilares da Telemedicina: Segurança, Qualidade e Eficiência – Teoria e Prática”, a Clínica Onco Hematos realizará a próxima live nesta quarta-feira (17), a partir das 18h. O ortopedista da Onco Hematos, Dr. Ronald Barreto, e o presidente da Sociedade de Gastroenterologia de Sergipe e gastroenterologista da Onco Hematos, Dr. Fernando Every, irão debater sobre o assunto, com o objetivo que a população conheça mais sobre a Telemedicina. A live será transmitida pelo instagram @oncohematosse. Acompanhe!

 

Alô Canindé!

“Sempre soube que gerir uma cidade, um povo, não seria uma tarefa fácil. Porém, sempre tive em mente que através de uma boa gestão nós podemos mudar a vida de muitas pessoas. Com trabalho sério e dedicação, histórias podem ser transformadas, e é isso que tenho feito”, frisou o prefeito Ednaldo da Farmácia.

 

Ednaldo da Farmácia

“Ao assumir o cargo tive plena consciência que precisava diminuir ainda mais as despesas do município, porém sem afetar a qualidade dos serviços básicos do povo de Canindé”, disse o prefeito, rescindindo o contrato com as empresas gestoras da Merenda Escolar e o próprio município passou a executar esta ação, o que gerou uma economia de R$ 4.440.000,00 aos cofres públicos.

 

Combustível e limpeza urbana

O prefeito também destaca que, em 2017 foram gastos com combustível R$ 3.000.000,00; em 2018, após a revisão do contrato, o valor foi reduzido para R$ 1.800.000,00. Outra mudança feita que resultou na redução de gastos foi a realização do processo seletivo para contratação dos servidores para limpeza urbana que, sendo feita diretamente pelo município, obteve-se uma economia de R$1.956.000,00.

 

Aluguéis e transporte escolar

Ele também cita que em 2017 foram gastos com alugueis e contratação de imóveis R$ 401.280,00. Já em 2018, com a readequação dos espaços existentes das atuais secretarias, o valor foi reduzido para R$ 70.200,00. Em 2017 também foram gastos com empresas terceirizadas do transporte escolar R$ 5.124.000,00. Já com a contratação direta do transportador para transporte escolar feita pela autogestão o investimento foi de R$ 3.240.000,00, obtendo uma economia de R$1.884.000,00. 

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 

O que você está buscando?