Superando desafios

Jose Costa, 20 de Outubro, 2020

     Desde que nascemos, superamos desafios todos os dias de nossas vidas, os quais podem ser fáceis ou difíceis, importantes ou não, colocados a nós de acordo com a situação que estamos vivendo no momento.

 

     Os desafios são provas e obstáculos que surgem no decorrer de nossas vidas. Eles nos ensinam a crescer, a superar limites e a conquistar o nosso espaço na sociedade. Eles acontecem no trabalho, no casamento, na família, nos estudos, nos esportes, nos relacionamentos e com a saúde; através da superação de perda do emprego e conquista de outro; de deixar a vida de solteiro, se casar e construir uma nova família; da luta pela cura de uma doença; da perda de um ente querido, da passagem da fase de adolescente para a adulta; do término dos estudos no ensino médio e a aprovação no vestibular e principalmente, do desafio de aprender a conviver e respeitar o outro como ser humano.

 

     Durante a minha vida profissional, sempre apareceram desafios, que foram e continuam sendo um aprendizado a cada dia, mas alguns se destacaram pelas circunstâncias e períodos que ocorreram, foram e continuam sendo um aprendizado diariamente.

 

     Durante 26 anos de trabalho no Colégio Estadual Murilo Braga, apenas ensinei o basquete nas aulas de educação física, mas com a implantação da LDB em 1996, elas foram modificadas com a inclusão de conteúdos teóricos, outros esportes e temas transversais. Foi difícil me adaptar, mas a minha determinação de acompanhar as novas tendências da educação fez com que me aprimorasse, superasse limites e atualizasse os conhecimentos participando de cursos específicos, lendo e conversando com outros professores sobre os diversos assuntos. Fiquei realizado em dar esse tipo de aula na escola pública em substituição ao esporte competitivo.

 

     Em 1993, fui convidado a dar aulas de basquete no Colégio Dom Bosco, mas no ano seguinte, os alunos optaram em praticar o voleibol e tive que optar em perder o emprego ou ensinar este esporte. E foi o que decidi: “arregacei as mangas”, comprei livros, fiz vários cursos e pesquisei bastante, dois anos depois ganhei o primeiro título escolar dos quatros conquistados em Sergipe, chegando a representar o Estado nos JEB’s, em Brasília, com as meninas do Dom Bosco. Em 2008, aceitei o desafio de ensinar handebol a nível competitivo e o Dom Bosco sagrou-se campeão masculino da seletiva do interior dos Jogos da Primavera, em Lagarto. Continua sendo uma experiência realizadora trabalhar com esportes que não sejam o basquete, o qual ensinei por 30 anos nos Colégios Murilo Braga, Graccho Cardoso e Salesiano.

 

     No Salesiano, sempre ensinei basquete e educação física do ensino fundamental ao médio. Em 2004, aceitei o desafio de ensinar pela primeira vez, em minha vida, a quarta série, hoje 5º ano. Superei os obstáculos e dificuldades por nunca ter trabalhado com alunos na faixa etária de 9 a 10 anos, mas foi gratificante porque aprendi a ter mais paciência e aceitar a ser “tio”.

 

     Em 2009, para minha surpresa e satisfação, fui convidado pelo Colégio Graccho, ao maior desafio de minha vida profissional, depois de 20 anos de dedicação a esta instituição, de educar através da educação física escolar, alunos do 2º ao 5º ano do ensino fundamental, antigo primário. Este desafio foi difícil por causa da idade dos alunos que ia de 6 a 10 anos, pois precisavam de mais atenção, carinho e respeito; exigindo de mim ser “tio”, psicólogo, enfermeiro, segundo pai e principalmente, um educador com a responsabilidade de contribuir na formação integral destas crianças. Eu não era apenas o professor de basquete, mas também de voleibol, handebol, futsal e educação física escolar.

 

     Em 2010, recebi o convite do Colégio O saber para ensinar educação física aos alunos do 6º ao 9º Ano e como a escola não tinha uma quadra esportiva, uma das duas aulas semanais era dada no Ginásio do SESI e a outra na sala de aula, um novo desafio, já que durante 30 anos de vida profissional as minhas aulas eram praticamente na quadra. Implantei as aulas teóricas com conteúdos sobre os esportes esportivos e também ensinei aos alunos a jogar xadrez e dama. Atualmente, a escola já possui sua quadra esportiva e as aulas são práticas, abrangendo basquete, futsal, handebol e voleibol.

 

     Em julho de 2020, o Blog Professor José Costa atingiu a marca histórica de 7 milhões de acessos, um sonho que foi concretizado após muito trabalho diário, este realizado com perseverança, responsabilidade e determinação de passar informações com qualidade aos leitores. Tudo começou em 2009, quando o amigo Jackson Macedo me aconselhou a criar um blog para divulgar o meu trabalho nas escolas onde ensinava. Ele me ensinou os primeiros passos e depois disso, comecei a montar o blog do meu jeito, inicialmente, com muitas dificuldades, já que não tinha o conhecimento apropriado para esse novo desafio e a da minha limitação em usar o computador e a internet. Aos poucos, fui aprendendo e, hoje, o blog tornou-se para mim uma ferramenta de trabalho onde procuro passar aos leitores informações atualizadas sobre educação, esporte, saúde, cultura e cidadania. Se depender da minha perseverança e determinação, o blog alcançará em breve a marca de 8 milhões de acessos, aguardemos.

 

     Em 2020, concretizei um sonho antigo, dar aulas às turmas do 4º ano no Colégio Dom Bosco, mas infelizmente por causa da pandemia, acabei lecionando presencialmente apenas até março, e o restante das aulas, até 18 de outubro, pela internet, quando encerrei meu ciclo de trabalho na escola, após 27 anos e 7 meses. Continuo lecionando educação física no Colégio O Saber. Em 2021, com as graças de Deus, estarei disposto para continuar as minhas atividades como professor de educação física em outras instituições de ensino.

 

     Em 40 anos de trabalho, já ganhei mais de duzentas medalhas com meus alunos dos Colégios Murilo Braga, Graccho, Salesiano, Dom Bosco e O Saber. Todas tiveram um significado especial na minha carreira profissional, como a primeira medalha em cada colégio onde ensinei ou em cada competição que disputei. Algumas marcaram mais que outras, principalmente, a primeira em cada esporte como: em 1981, a medalha de Ouro no Basquete dos Jogos da Primavera com a categoria A feminino do Colégio Estadual Murilo Braga; em 1999, a medalha de Bronze no Voleibol dos Jogos das Crianças de Sergipe com a categoria mirim feminino do Colégio Dom Bosco; em 2008, a medalha de Ouro no Handebol da Seletiva dos Jogos da Primavera-Olimpíadas Escolares, com a categoria A masculino do Colégio Dom Bosco; em 2011, o título de campeão do Campeonato mirim masculino de futsal de Itabaiana, promovido pelo SESI, que foi disputado por 16 equipes das escolas das redes municipal, estadual e particular de ensino.

 

     Ao longo dos anos, o que vem me motivando a continuar trabalhando como quando iniciei em 1980, é a disposição de superar desafios em cada escola onde trabalhei ou em cada esporte que ensinei, seja no basquete, voleibol, handebol ou futsal. É através do esporte, na educação física, que espero estar contribuindo na formação integral dos meus alunos, inspirado na frase de Dom Bosco de “formar bons cristãos e honestos cidadãos”.

 

     Relato estes desafios da minha profissão e vida não para me enaltecer, mas para que sirvam de lições, motivações e exemplos a outras pessoas. Se aparecer desafios no percurso de sua vida, faça como eu: aceite-os, enfrente-os, não se intimide, não se desespere, não se acomode, tenha fé, encontre novos caminhos e soluções, recomece, aproveite as oportunidades, faça o melhor possível e compartilhe todas as experiências adquiridas.

 

     Em todos os desafios são encontradas dificuldades, problemas, incompreensões e obstáculos, mas nada que não possa ser resolvido ou superado com determinação, dedicação e força de vontade. Peça a Deus que ilumine e guie seus passos no caminho certo para superá-los quando forem surgindo na sua vida e Ele lhe atenderá, como faz comigo.

 

Professor José Costa

O que você está buscando?