GENTE SERGIPANA - PEDRO LANGANHO

Antonio Samarone, 01 de Março, 2024 - Atualizado em 01 de Março, 2024

 


Pedro Germano de Oliveira, filho de Dionélia e Antonio Angico, foi o menino mais esperto do Beco Novo. Polêmico, gabola, conversador, levou a vida na valsa.

Ganhou notoriedade. Pedro Langanho sempre foi diferenciado. Se achava sabido. A fala, o caminhado, os gestos, lembravam a malandragem dos sambas.

Pedro Langanho, inconscientemente, passava a mensagem do samba carioca: “malandro é malandro, Mané é Mané.

De família muito pobre, Pedro vivia de pequenas espertezas. Um João Grilo ceboleiro.

Nas peladas, Pedro Langanho se achava um craque, se considerava um clone de Zanata, aquele do Vasco.

Os irmão, Mané Angico e Chico das Cobras, trabalhavam no pesado. Pedro tinha as mãos finas.

Eu sou contra o trabalho infantil!

Entretanto, a minha geração trabalhou cedo, por necessidade. Os valores eram outros. O trabalho era visto como uma virtude. Quando eu comecei a trabalhar virei cidadão, dono do meu nariz. Parte da renda era para ajudar as despesas da família.

Eu me sentia feliz, útil. O trabalho não me impediu de passar no vestibular, sem cota e sem pré-vestibular. Não estou querendo defender o trabalho infantil.

Meninos pobres que não trabalhassem eram vistos como vadios. Mesmo que estudassem. Em Itabaiana eram carimbados como “índios”, malandro. Aos 12 anos, eu vendi água na feira, peguei carrego, vendi pão dormido e não fiquei traumatizado. Pelo contrário, tinha orgulho de ter o meu dinheiro. Aos 15 anos, eu já ganhava salário mínimo.

Minha mãe era rigorosa sobre os estudos, acompanhava diariamente, procurava saber o meu comportamento. A disciplina era absoluta. A ela, devo o meu “sucesso” na escola.

Em Itabaiana, ser malandro não tinha guarida. Mesmo o falso malandro, a malandragem sadia. Pedro era um falso malandro, numa terra de trabalhadores precoces.

Na verdade, era uma malandragem inofensiva. Mais de gestos. Pedro trabalhava escondido. Casou, constituiu família. Foi Vereador de um mandato.

Encontrei-o ontem, batendo boca numa roda de amigos. O tema: quem foi o melhor jogador de futebol, entre eles. De passagem, exagerei as habilidades de Pedro Langanho. Atribui as perseguições do treinador Miguel de Rola, um disciplinador, o insucesso de Pedro no Futebol.

Miguel de Rola, odiava gabolice. Pedro Langanho, foi podado. Nunca era escalado, mesmo treinando bem.

Pedro Langanho é um personagem original, da história de Itabaiana.

Antonio Samarone. (médico sanitarista)

O que você está buscando?

mgid.com, 539646, DIRECT, d4c29acad76ce94f amxrtb.com, 105199704, DIRECT