A Volta da Fome! (por Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 20 de Abril, 2021

A Volta da Fome!
(por Antonio Samarone)

Com o final da ditadura, parte da esquerda acreditou que a saída para o Brasil seria uma aliança com a burguesia desenvolvimentista. Onde encontrar esses burgueses, comprometidos com um projeto nacional?

A Aliança Democrática colocou Zé Sarney na Presidência da República. Foi essa a aliança possível com a burguesia. O “Tudo pelo Social” do Sarney terminou no Caçador de Marajás e a economia entregue a Zélia Cardoso.

Essa crença de uma burguesia nacional com interesses diversos do Imperialismo, voltada para o Brasil, acabou de vez com a chegada do neoliberalismo, durante o Governo de FHC. O capitalismo tomava novos rumos.

O mercado foi globalizado e passou a significar o mercado financeiro.

Lula foi eleito e tratou de assegurar tranquilidade a esse mercado. E cumpriu, com uma ressalva: distribuiu uma parte da renda com o andar de baixo. Não atacou as bases da desigualdade, mas criou uma esperançosa “classe C”.

Lula deu um “rosto humano” ao neoliberalismo. Naquele momento, foi possível distribuir renda e melhorar a vida de muita gente, sem mexer nos interesses da tal burguesia nacional. Pelo contrário, eles nunca ganharam tanto.

O capitalismo mudou muito. O pacto com o Centrão acabou e Dilma foi golpeada aos pontapés.

O neoliberalismo avançou ferozmente, suprimiu direitos sociais e trabalhistas, precarizou as políticas sociais e elegeu um fascista despreparado.

O “mercado”, como diz a imprensa, continua agitado, sedento por sacrifícios humanos. Ele exige a sua parte, sem concessões. Que se apertem os cintos...

Os pobres não cabem no orçamento!

Como se não bastasse, veio a Pandemia. A sociedade brasileira encontra-se profundamente dividida e com um futuro incerto. A desigualdade social avançou e o desemprego ameaça a sobrevivência dos trabalhadores.

A fome retornou faminta, voltou a ser o nosso principal problema, o mais urgente.

Como sair dessa tempestade? No momento apresentam-se três alternativas:

1. Deixar a extrema direita com o atual projeto, que no final dará certo;
2. Optar por uma direita “civilizada”, num arranjo Dória/Ciro/ACM Neto;
3. Dar uma nova chance ao projeto Lula/PT.

Nenhum desses projetos visa romper com a Ordem Capitalista.

Antonio Samarone (médico sanitarista)

O que você está buscando?